Calcular a média do ensino secundário e regras e cálculos para acesso ao ensino superior para o ano letivo 2023/24


A partir do ano letivo de 2023/24, novas diretrizes para a conclusão do ensino secundário e o acesso ao ensino superior público serão implementadas em Portugal. Contudo, os estudantes que se encontram atualmente no 12º ano não serão afetados por estas alterações, mantendo-se sob as regras anteriormente estabelecidas.

Os alunos do 12º ano no presente ano letivo apenas necessitam de realizar exames nacionais se tiverem como objetivo concorrer ao ensino superior, e somente nas disciplinas que são relevantes para o curso ao qual se propõem candidatar.

As normas excecionais e temporárias implementadas em 2020 para minimizar as restrições causadas pela pandemia de COVID-19 e pela mudança para o ensino à distância permanecem em vigor. Isto significa que os exames nacionais não serão considerados para efeitos de avaliação, aprovação de disciplinas e conclusão do ensino secundário, tal como definido no Decreto-Lei n.º 22/2023, de 3 de abril.

Para os cursos científico-humanísticos, a nota de candidatura ao ensino superior é determinada por uma fórmula que inclui a média do secundário, os resultados dos exames nacionais realizados e os pré-requisitos solicitados pela instituição de ensino superior (cada instituição define os seus próprios pré-requisitos e exames de acesso).

Os exames de acesso têm diferentes pesos, definidos por cada instituição. Portanto, é importante verificar no site da DGES a fórmula de acesso ao ensino superior para o curso e a instituição que pretendes frequentar.

O cálculo da classificação final de cada disciplina do secundário depende de vários fatores, incluindo se a disciplina é anual ou bienal/trienal e se tem um exame nacional obrigatório.

Para calcular a média final do curso, é necessário fazer a média aritmética dos resultados finais de todas as disciplinas (excluindo Educação Moral e Religiosa).

O cálculo da média de acesso à universidade depende dos critérios estabelecidos por cada instituição, tal como acontece com os alunos dos cursos científico-humanísticos. Portanto, é importante consultar o site da DGES para obter informações sobre a fórmula de acesso da instituição que pretendes frequentar.

Para os alunos que estão a frequentar um curso profissional, o cálculo da média de acesso ao ensino superior é um pouco diferente daqueles que optaram pelos cursos científico-humanísticos.

É crucial que os estudantes estejam sempre a par das médias de entrada no curso que pretendem com alguma antecedência, uma vez que as notas de todos os anos do ensino secundário contam para a média de entrada. Portanto, é aconselhável que os alunos saibam qual a média de entrada que precisam desde o 10º ano, para que possam se preparar adequadamente e estimar o esforço necessário para alcançar os seus objetivos.


Para calcular a média para entrar na universidade em Portugal no ano letivo de 2023/2024, deve seguir estes passos:

Disciplinas com exames nacionais obrigatórios: A nota interna dada pela escola tem um peso de 70% e a nota final do exame nacional tem um peso de 30%. Fazer o seguinte cálculo para obter a nota média para disciplinas bienais e trienais:

  • Disciplinas bienais: 0,7 x (nota interna do 10º ano + nota interna do 11º ano/2) + 0,3 x nota do exame nacional.
  • Disciplinas trienais: 0,7 x (nota interna do 10º ano + nota interna do 11º ano + nota interna do 12º ano/3) + 0,3 x nota do exame nacional​​.

    • Cálculo da nota final do curso: Depois de ter os resultados finais de todas as disciplinas, calcule a nota final do curso fazendo a média aritmética dos resultados anteriores, arredondando às unidades. A notas obtida em Educação Moral e Religiosa não é considerada para esta média​.

      Cálculo da nota final do curso para concurso: Depois de encontrar a nota final do curso, calcule a nota final de curso para o concurso usando a seguinte fórmula: 0.7 x nota final do curso + 0.3 x (média dos 4 exames nacionais) / 10.

      Cálculo da nota de acesso à faculdade: Para calcular a nota de acesso à faculdade, é necessário entender o peso dado aos exames de acesso e à média final do secundário. Por exemplo, algumas faculdades dão um peso de 30% às provas de ingresso enquanto outras dão de 35%. Verifique sempre no site da DGES quais os critérios de acesso que a faculdade que deseja entrar exige. Para a média do secundário, utilize sempre o valor obtido na última fórmula referente à nota final de curso para o concurso​​.


      Para os cursos profissionais o cálculo da média é um pouco diferente:

      Cálculo da nota final do curso: (2 x média de todos os módulos) + (30% da nota de estágio + 70% da PAP) / 3.

      Cálculo da nota final de curso para concurso: (70% da média final de curso + 30% da média dos 2 exames nacionais) / 10​.

      Utiliza o nosso simulador:

      https://www.examesnacionais.com.pt/calculo-media-secundario/



      Como se calcula a classificação final de uma disciplina nos cursos científico-humanísticos regulamentados pela portaria n.º 226 – a/2018, de 7 de agosto, alterada pelo decreto-lei n.º 22/2023, de 03 de abril?

      Nas disciplinas anuais, a classificação final da disciplina (CFD) é apenas considerada a avaliação interna:

      CFD = Avaliação interna

      À semelhança dos anos transatos, no presente ano letivo, em todas as disciplinas bienais e trienais, a classificação final da disciplina é a média aritmética simples das classificações de frequência anuais:

      CFD = (10.º + 11.º) /2 ou CFD= (10.º + 11.º + 12.º) /3

      Para os alunos autopropostos, a classificação final da disciplina é a obtida em exame:

      CFD = CE


      Como se calcula a classificação final dos cursos instituídos pelo decreto-lei n.º 55/2018, de 6 julho e o decreto-lei n.º 139/2012, de 5 de julho?


      DECRETO-LEI N.º 55/2018, DE 6 DE JULHO

      Cursos Científico-Humanísticos

      A classificação final destes cursos é a média aritmética simples, arredondada às unidades, da classificação final obtida em todas as disciplinas do percurso formativo do aluno, com exceção da disciplina de Educação Moral e Religiosa.

      Cursos Artísticos Especializados

      A classificação final de um curso artístico especializado é o resultado da aplicação da seguinte fórmula:

      CFC = (8MCD + 2PAA) /10

      Em que:

      CFC — classificação final de curso (com arredondamento às unidades);
      MCD — média aritmética simples, com arredondamento às unidades, da classificação final obtida pelo aluno em todas as disciplinas, com exceção da disciplina de Educação Moral e Religiosa.
      PAA — classificação obtida na prova de aptidão artística

      No curso secundário de Dança, de Design de Comunicação, de Design de Produto e de Produção Artística e Comunicação Audiovisual a MCD inclui ainda a classificação da formação em contexto de trabalho.

      Cursos Profissionais

      A classificação final de curso é o resultado da aplicação da seguinte fórmula:

      CFC =0,22*FSC + 0,22*FC + 0,22*FT + 0,11* FCT + 0,23*PAP

      Em que:

      CFC= classificação final de curso, arredondada às unidades;
      FSC= média aritmética simples das classificações finais de todas as disciplinas que integram o plano de estudos na componente de formação sociocultural, arredondada às décimas;
      FC= média aritmética simples das classificações finais de todas as disciplinas que integram o plano de estudos na componente de formação científica, arredondada às décimas;
      FT= média aritmética simples das classificações finais de todas as UFCD que integram o plano de estudos na componente de formação tecnológica, arredondada às unidades;
      FCT= classificação da formação em contexto de trabalho, arredondada às unidades;
      PAP= classificação da prova de aptidão profissional, arredondada às unidades.

      DECRETO-LEI N.º 139/2012, DE 5 DE JULHO

      Cursos Científico-Humanísticos do Ensino Secundário Recorrente

      A classificação final dos cursos científico-humanísticos do ensino recorrente é o resultado da média aritmética simples, com arredondamento às unidades, da classificação final obtida pelo aluno em todas as disciplinas do respetivo curso.


      Como se calcula a classificação final de cursos extintos do ensino secundário anteriores ao decreto-lei n.º 55/2018, de 6 julho e ao decreto-lei n.º 74/2004, de 26 de março?


      Cursos instituídos pelo Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de agosto

      A classificação final de um curso do ensino secundário é a média aritmética simples, arredondada às unidades, da classificação final de todas as disciplinas que integram o plano de estudos, com exceção das disciplinas de Educação Moral e Religiosa e de Desenvolvimento Pessoal e Social.

      Cursos do 12.º ano da via de ensino

      A conclusão de um curso do 12.º ano via de ensino implica:

      a) A titularidade prévia de um curso complementar diurno (10.º e 11.º anos) ou noturno (1.º e 2.º anos);

      b) A aprovação em todas as disciplinas do plano de estudos do curso frequentado no 12.º ano.

      A classificação final de um curso do 12.º ano via de ensino é a média aritmética simples, arredondada às unidades, das classificações finais das três disciplinas que constituem o respetivo plano de estudos.

      Cursos do 12.º ano da via profissionalizante

      A conclusão destes cursos implica a aprovação em todas as disciplinas do respetivo plano de estudos.

      A classificação final de um curso do 12.º ano da via profissionalizante é igual à média aritmética simples das classificações finais de todas as disciplinas que integram o seu plano de estudos.

      Cursos técnico-profissionais diurnos e pós-laborais

      A conclusão destes cursos implica a aprovação em todas as disciplinas do respetivo plano de estudos.

      A classificação final de um curso técnico-profissional é a média aritmética simples, arredondada às unidades, das classificações finais de todas as disciplinas que o integram.

      Cursos do ensino secundário recorrente por unidades/blocos capitalizáveis

      A conclusão destes cursos implica a aprovação em todas as disciplinas do respetivo plano de estudos.

      Considera-se aprovado numa disciplina o aluno que, na respetiva classificação final, tenha obtido, pelo menos, 10 valores (na escala de 0 a 20) em cada uma das unidades/blocos capitalizáveis que integram a disciplina.

      A classificação final de cada disciplina é a média aritmética simples, arredondada às unidades, das classificações das unidades/blocos capitalizáveis que a compõem.

      A classificação final do curso é a média aritmética simples, arredondada às unidades, das classificações finais de cada disciplina.

      Cursos das escolas profissionais - (planos de estudo não abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março)

      A conclusão destes cursos implica a aprovação em todas as disciplinas do respetivo plano de estudos e ainda na prova de aptidão profissional.

      A aprovação em cada disciplina resulta da obtenção de classificação final igual ou superior a 10 valores em cada um dos módulos.

      A classificação final de cada disciplina é a média aritmética ponderada, arredondada às unidades, das classificações dos módulos que a compõem.

      A classificação final da parte curricular é a média aritmética simples, arredondada às unidades, das classificações finais de cada disciplina.

      A classificação final do curso é a média aritmética ponderada, arredondada às unidades, da classificação da parte curricular (PC) e da classificação da prova de aptidão profissional (PAP):

      CF = (2PC + PAP)/3

      Cursos Vocacionais

      A classificação final de curso é o resultado da aplicação da seguinte fórmula:

      CF = (MCFD + MUFCD + EF)/3

      Em que:

      CF = classificação final do curso, arredondada às unidades;
      MCFD = média aritmética simples das classificações finais de todas as disciplinas que integram o plano de estudos do curso, arredondada às décimas, com exceção da disciplina de Educação Física para os alunos que concluem a partir do ano letivo 2014/2015;
      MUFCD = média aritmética simples das classificações finais de todas as UFCD que integram o plano de estudos do curso, arredondada às décimas;
      EF = Classificação do estágio formativo, arredondada às unidades.

      Cursos Tecnológicos

      A classificação final de curso é o resultado da aplicação da seguinte fórmula:

      CFC = (9MCD + 1PAT) /10

      Em que:

      CFC = classificação final do curso (com arredondamento às unidades);
      MCD = média aritmética simples, com arredondamento às unidades, da classificação final obtida pelo aluno em todas as disciplinas, projeto tecnológico e estágio do respetivo curso, com exceção da disciplina de Educação Moral e Religiosa e, para os alunos que concluem a partir do ano letivo de 2014/2015, da disciplina de Educação Física;
      PAT = classificação obtida na prova de aptidão tecnológica.



GINÁSIOS DA EDUCAÇÃO DA VINCI. QUEM SOMOS?

Com 33 centros em Portugal, os Ginásios da Educação Da Vinci é a marca/franchising de serviços de apoio escolar e explicações com maior implantação em Portugal.

Saber mais

Ginásios da Educação Da Vinci

EXPLICAÇÕES

Inscreve-te
aqui  

EXPLICAÇÕES

Inscreve-te aqui

Inscreve-te nas explicações dos Ginásios Da Vinci e prepara-te para conseguires as melhores notas.

Preenche o formulário passo a passo. No final terás o preço para as opções escolhidas.

Online ou Presencial?
Escolhe o regime que preferes.
ONLINE

Onde quer que estejas. Aulas individuais em regime online.

PRESENCIAL

Se vives numas da 38 localidades onde existe Da Vinci.



Ginásios da Educação Da Vinci

Os Ginásios da Educação Da Vinci é uma rede franchising de serviços de educação dirigidos, não só a jovens, mas também a adultos. Para além de explicações e apoio escolar, a marca oferece uma vasta gama de outros serviços de caracter educativo e pedagógico, dirigido a todas as idades.

     

Contactos - Master

+351 289 108 105
ginasios@davinci.com.pt
www.ginasiosdavinci.com
Master Office: Largo do Carmo nº51, Faro



Contactos - Unidades
Franchising
Recrutamento
Termos de Privacidade

As unidades franchisadas dos Ginásios da Educação Da Vinci são jurídica e financeiramente independentes.
Livro de Reclamações | Centros de Arbitragem de Conflitos de Consumo